2

Encerramento do Blog

on 09:19
Segunda-feira, 07 de dezembro de 2009
Gostaríamos de dizer que foi bom enquanto durou, mas acabou, chegamos ao fim do semestre letivo e estamos encerrando nossas atividades do III semestre de Relações Públicas da disciplina de Comunicação Organizacional da Universidade Metodista.
Agradecemos em especial a professora Claudia Noccioli Rebechi, nossa orientadora, que nos acompanhou durante todo o processo de criação até finalização deste blog e a todos que nos visitaram que enviaram e-mails com dicas, sugestões, orientações e, principalmente, comentários.
Enceramos nosso blog com a certeza que foi um aprendizado muito importante para as nossas vidas profissionais e pessoais, com alguns erros e muitos acertos e com a vontade de continuar com este projeto em outro momento de nossas vidas, com novas propostas e atividades que contribuirão para nossa carreira no futuro.
Obrigada mais uma vez a colaboração e partcipação de todos,
Equipe Target Comunicação

0

Nossa polícia está mudando

on 20:54
Sábado, 05 de dezembro de 2009


Apesar de ser símbolo de ineficiência no Brasil, a policia dos Estados de São Paulo e Minas Gerais vem investindo em treinamentos, tecnologia e modernos métodos de gestão. Podemos citar o exemplo do Coronel Renato de Souza da policia Militar de Minas Gerais, que atualmente está ascendendo na hierarquia de segurança. Cursou mestrado em Administração Pública, Especialização em Gestão de Crises pela academia de policia do FBI na Virginia (EUA), além de Gestão de Empresas. Souza como é conhecido ocupa cargo de comando dentro da Policia e é prova de que os Governos estão mudando sua gestão e desenvolvendo ações para melhoria da segurança pública.

Segundo o economista da Universidade de Chicago Gary Becker “É um mito criado por intelectuais a idéia de que é impossível combater o crime porque ele é fortemente relacionado com a pobreza e só pode ser reduzido com drásticas reformas sociais”.

A melhoria na eficiência da gestão que vem ocorrendo nos Estados de São Paulo e Minas Gerais são devidas ao novo sistema implantado que integra as informações criminais ao sistema (Infocrim) que registra a localização de ocorrências no mapa. Também integrou os departamentos que despacham os carros e os helicópteros ao que atende aos chamados de emergência da população. Após essas ações a taxa de homicídios na Capital foi reduzida em 79%.


Quer ler mais sobre as ações e estratégias que nossa Policia está utilizando? Leia a revista Veja edição 2141, 02/12/2009 pg 154 a 166.



Por Simone da Conceição Duarte

0

COP-15 e os impactos em nosso cotidiano

Sexta-feira, 04 de dezembro de 2009
Acontecerá nos dias 7 a 18 de dezembro, na cidade de Copenhague (capital da Dinamarca) a 15ª Conferência das Partes da ONU. A reunião que conta com a participação de 193 países membros da UNFCCC ( United Nations Framework Convention on Climate Change¹), tem como objetivo promover um acordo climático entre os países e impedir que a temperatura do planeta suba mais do que 2°C até o final do século.
O principal questionamento é de que maneira tais decisões podem interferir no cotidiano da sociedade. O acordo global deve afetar, de forma direta ou indireta, a forma como vivemos, como consumimos, como usamos os recursos energéticos, meios de transporte, entre outros. Para o professor da PUC e economista Ladislau Dowbor, esta é uma oportunidade de sermos mais racionais e mais conscientes de nosso papel como cidadãos.
O pós-Copenhague promete ser impactante na vida de muitas pessoas, principalmente devido às taxações de atividades e produtos, de acordo com a quantidade de gases de efeito estufa emitidos durante o processo de produção.
A partir das exigências feitas neste acordo, muitos especialistas acreditam que novas profissões devem surgir no mercado, especialmente aquelas ligadas às áreas de responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.
As Organizações Não-Governamentais Greenpeace e Tic Tac Tic Tac, criaram outdoors (ver foto) que criticam a falta de colaboração dos líderes mundiais contra o aquecimento global. Por outro lado, de acordo com o site Planeta Sustentável (editora Abril), o Brasil é o país que mais pode ter esperanças de mudanças e utilização de novas energias limpas e tecnologias ecologicamente responsáveis.
Fica a reflexão para todos os Relações Públicas quanto ao papel da profissão neste cenário e conscientização da comunidade e empresas, que almejem um desenvolvimento - e não apenas um crescimento - sustentável.
¹ Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.
Tradução foto-"Desculpem-me. Nós poderíamos ter evitado mudanças climáticas catastróficas... não o fizemos."

Fontes:
Por Leila Freitas

0

Cultura Organizacional

on 22:34
Quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A cultura organizacional é o conjunto de valores, crenças, atitudes e normas compartilhadas que moldam as expectativas e o comportamento de cada membro da organização.

Existem alguns fatores chaves que são levados em conta na organização de uma empresa, são eles: cultura, recursos e habilidades, estrutura, estratégia e a própria gestão. Sendo que a cultura é um processo dinâmico de toda estrutura organizacional.

Há uma grande variedade de estruturas que integram a cultura de uma empresa, formadas por três grandes grupos: os valores, os símbolos e os comportamentos. Caracterizados pelas atuações das decisões dos indivíduos da organização em todos os níveis.




Por Marcelly Gomes da Rocha

2

Dia do Profissional de Relações Públicas

on 17:18
Quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Hoje, dia 2 de dezembro é uma data muito especial para nós, alunos do curso de Relações Públicas, pois comemora-se o Dia do Profissional das Relações Públicas. Um dia muito importante também, pois foi o dia do nascimento de Eduardo Pinheiro Lobo, o patrono de nossa profissão.

Profissão esta que começou sem querer, mas que atualmente, tem um papel importantíssimo na disseminação da comunicação dentro das organizações.

Fundamentos baseados na Escola de Montreal, estudo de Comunicação Organizacional, dizem que as organizações não existem sem a comunicação, ou seja, a comunicação precisa estar sempre presente nas decisões e na transmissão de mensagens tanto para os públicos (stakeholders) da organização como para alta administração. Mesmo que a comunicação seja mais que uma transmissão de mensagens e por isso tem um papel essencial na instituição.
Sendo assim, a Relações Públicas é a área mais indicada para este tipo de atividade, principalmente, no gerenciamento do departamento de comunicação organizacional dentro das empresas.

Desta forma, sabe-se então que o papel que o RP desenvolve é tão importante que seu dia deveria ser comemorado todos os dias, para que a partir daí nossa profissão fosse reconhecida e melhor compreendida por toda a sociedade.
Fonte: Texto baseado nas aulas de Comunicação Organizacional sobre a Escola de Montreal
Por Debora Godke Molina

0

House Organ

on 14:37
Terça-feira, 1° de dezembro de 2009

Dentro de uma organização, muitos são os meios de comunicação utilizados para disseminar qualquer tipo de informação para determinado público.
O público Interno deveria ser considerado o mais importante de todos os públicos por todas as organizações, pois é ele que estará envolvido para que os objetivos e a missão organizacional sejam atingidos e que distribuirá informações positivas ou negativas sobre a mesma para outros públicos. De acordo com Kunsch: “A comunicação interna deixa de ser uma área periférica e alia-se aos demais setores, tornando-se assim uma ferramenta imprescindível para obtenção de resultados”.
Por este motivo que o House Organ é um veículo de comunicação tão importante dentro de uma organização (pública ou privada). Ele atinge seus públicos (geralmente o interno) com o objetivo de divulgar os fatos e realizações que ocorreram dentro da mesma.

Existem diversos tipos de house organ, que podem ser impressos ou eletrônicos, dentre eles: revistas, jornais, boletins, newsletters e outros. Para a execução de um dos tipos de house organs, não é necessário um formato padrão, apenas deve-se ficar atento para seu layout, verificando as cores, tamanho e mantendo-o adequado ao público que deseja atingir.
Para o sucesso do house organ deve primeiramente realizar um projeto que constitua em: projeto editorial (linha, seções e o nome), projeto gráfico (definição de letra, número de colunas, cor utilizada, papel, layout e tiragem), decidir a pauta anual, de cada número (por mês) e seção.
Para realizá-lo deve primeiramente ter competência, podendo ser de algum departamento de comunicação e/ou agência de assessoria, e contar com a ajuda dos funcionários da organização.


Fonte: Texto baseado nas aulas de Técnica de Relações Públicas ministradas pelo professor João Evangelista Teixeira e no site http://www.universia.com.br/.


Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

0

29º POP

on 16:44

Domingo, 29 de novembro de 2009.

Anualmente o CONRERP 2ª região em conjunto com o CONFERP, realizam o Prêmio Nacional de Relações Públicas, destinados aos profissionais, organizações e agências do Brasil.
O objetivo do prêmio é prestar homenagem aos projetos mais bem sucedidos e de maior excelência realizados entre o período de novembro de 2008 até outubro de 2009.
O prêmio é dividido em 8 categorias:


-RP nas Organizações Públicas;

-RP nas Organizações Privadas;

-RP nas Organizações de Terceiro Setor;

-RP e Sustentabilidade Social e Ambiental;

-RP Internacionais;

-RP na Gestão de Crises;

-RP em Novos Mercados e Empreendedorismo;

-RP nas Universidades e o Troféu Abertura, um incentivo aos jovens que estão em transição da Universidade para o mercado de trabalho.

Este ano, em sua 29ª edição, a cerimônia para entrega dos troféus e a realização da festa será no dia 2 de Dezembro no Teatro Vivo.

Para maiores informações acesse o site: www.conrerp2.gov.br


Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

2

O e-mail pode morrer

on 21:13
Sábado, 28 de novembro de 2009
Os sistemas de e-mail foram uma ferramenta crucial para a criação da rede internacional de computadores. O primeiro sistema de troca de mensagens entre computadores que se tem nota ­ foi criado no dia 13 de Setembro de 1965, e possibilitava a comunicação entre os multiplos usuarios.

Sinônimo de comunicação eficiente o e-mail está perdendo lugar para ferramentas mais ágeis e informais. Segundo Ibope Nielsen Online em Setembro / 2009, 59 milhões de pessoas acessaram as comunidades.

A matéria da revista exame do dia 04/11/2009, nos permite ter uma visão ampla de como as pessoas deixaram de utilizar o e-mail e passaram a utilizar outras ferramentas mais rápidas. A necessidade de tornar a comunicação cada vez mais ágil fez do Orkut, Twitter e SMS, ferramentas popularizadas entre os jovens, uma pesquisa realizada pelo Bindes/ FC mostra que o MSN é o preferido dos jovens brasileiros.

A distribuidora de aço GGD Metal adotou uma medida interna e criou uma regra para que seus funcionários usem o e-mail o mínimo possível. As mensagens passaram a ser por meios de mensagers. Porém algumas empresas rejeitam o Twitter porque temem a perda de produtividade dos funcionários. Já o Rahul Agarwal diretor de comunicação da Yammer acredita que ferramentas como mersagers corporativos possibilitam a comunicação entre funcionários.
O que as empresas buscam é praticidade e benefícios, e novos meios de comunicação proporcionam maior interação com seus públicos.

Por Simone da Conveição Duarte

0

Público Interno: novos desafios da comunicação.

on 23:44
Sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Os meios de comunicação interna utilizados hoje, na maioria das empresas, alcançaram um nível de excelência nos últimos anos, deixando de lado os materiais mal impressos e mal elaborados e dando lugar às mais modernas ferramentas que o mercado disponibiliza. Entretanto, utilizar-se de tais meios não siginifica que o plano de comunicação será eficaz.

Segundo pesquisa realizada em agosto de 2009 pela Databerje¹, exclusiva para a revista Valor, apenas 31% das mil empresas entrevistadas afirmaram que a comunicação interna é estratégica; para outras 34,7% os principais temas são referentes ao cotidiano da empresa e 14,3% disseram que os assuntos do RH são os que recebem maior atenção.

Para Suzel Figueiredo, diretora da Databerj e coordenadora da pesquisa, algumas organizações ainda encaram usam o setor de comunicação como um simples prestador de serviços e não entendem que as pessoas têm limites na retenção das mensagens.

Outro fato bastante interessante é que, segundo a pesquisa, a área de comunicação finalmente conquistou seu espaço e a confiança da alta gestão: 90% dos entrevistados disseram que o setor tem a confiança do presidente e dos diretores e é valorizada não somente nos momentos de crise.

Em 59,6% das empresas, os processos de comunicação interna são avaliados e este índice sobe para 74,5% quando tratamos de empresas estrangeiras.

De acordo a diretora de comunicação da BASF, Gislaine Rosseti " A área [de comunicação interna] pode fazer um excelente trabalho, mas é apenas um meio, não é responsável por motivar, por assegurar que a informação foi absorvida". Ela acredita que os líderes devem ser preparados para serem bons comunicadores e porta - vozes da estratégia organizacional.

¹ Databerj - Instituto de Pesquisa da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial
Baseado no artigo Público Interno / Internal Audience. Revista Valor Setorial , Novembro 2009, páginas 54 a 58.
Por Leila Freitas

2

Estratégia de Comunicação

on 20:45
Quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O objetivo da estratégia de comunicação é comunicar de forma clara e compreensiva a proposta do valor da empresa e seu posicionamento, sua imagem peranta o mercado, a identidade da empresa e suas propostas.

É preciso ter cuidado ao dizer algo sem pensar muito bem, pois pode correr o risco de passar uma imagem da empresa que não corresponda a realidade. Podendo os clientes nesse caso ter uma reação negativa da empresa.

Outro fator importante da elaboração da comunicação é a seleção de ferramentas de comunicação disponíveis no mercado, pois cada meio atingi determinado público. Uma coisa que não pode ocorrer é uma empresa por exemplo investir na comunicação mais que a concorrência, porém não atingir um menor número de resultados. Para isso serve a
pesquisa, estudando as mídias e consumidores, evitando assim desperdícios.

Um plano de comunicação eficiente deve cercar o público alvo e atingi-lo com a mensagem certa, mapeando os pontos de contato com este público, garantindo assim um melhor resultado.

O resultado é a definição de um conjunto de ações e atividades integradas destinadas às três pilares principais: construção da marca, geração de demanda e desenvolvimento dos canais de venda. Com a empresa são decididos os investimentos em cada um desses três pilares, conforme as prioridades da organização.

2

V I I E R P - Edição Noturna

on 18:48
Quarta-feira, 25 de novembro de 2009


O II Semestre de Relações Públicas da Escola de Comunicação e Arte (ECA) da Universidade de São Paulo (USP) estão promovendo o VII ERP - Edição Noturna.

Este evento será realizado no dia 30 de novembro, das 18h30 às 22h no próprio campus da Universidade, que fica localizado na Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443, 2° andar - Cidade Universitária.

Abaixo, mapa do local:


Exibir mapa ampliado

O sétimo encontro de Relações Públicas terá como tema a Comunicação Digital e as próprias, Relações Públicas. Os palestrantes convidados são Carolina Terra, autora do livro Blogs Corporativos, Jeff Paiva, ex-gerente de Social Media na Agência Click e Vinícius Romanini, doutor em Ciências da Comunicação pela USP.

Os ingressos custam 10 reais e as incrições podem ser feitas pelo e-mail:
viierp@gmail.com ou nas instituições parceiras: ABERJE, ABRP, CONRERP ou ABRACORP.

Ao final do evento serão distribuídos certificados.

Acompanhe este evento também pelo Twitter: @VIIERP_ECA ou pelo site:
www.eca.usp.br/erp/not/index.html

Garanta já seu ingresso!

Vendas amanhã (26/11) na porta da Casper Líbero e da FAAP, a partir da 18h.

*E fique ligado também no evento do dia 4 de dezembro, o Comunicação em Cena, que faz parte do VII ERP - Matutino, com realização dos alunos do 1° ano de Relações Publicas da ECA.

Acompanhe as novidades deste evento pelo blog: http://www.comunicacaoemcena.blogspot.com/

Fontes: Folder distribuído pelo próprios alunos, realizadores do evento;
www.eca.usp.br/erp/not/index.html

Por Debora Godke Molina

0

O pensamento da Escola de Montreal

on 17:43
Domingo, 22 de novembro de 2009

Semana passada, nós alunos do III semestre de Relações Públicas da Metodista estudamos a respeito do pensamento da Escola de Montreal, que propõe um novo olhar sobre as organizações e a comunicação. Lida com as experiências vivenciadas diariamente, a importância das conversações e dos textos, o foco na linguagem e nos discursos que refere-se ao estudo de como as pessoas se organizam por meio da comunicação e faz com que as pessoas se organizem naturalmente.

A Escola de Montreal explica o processo de criação e recriação organizacional por meio da comunicação interpretativa que leva em conta os aspectos objetivos que são os canais de comunicação e os aspectos subjetivos que é a linguagem utilizada.

As organizações são sistemas vivos e que se modificam através do tempo. Se levarmos em conta os aspectos objetivos, o que aconteceu foi uma inversão de valores sob os aspectos subjetivos, um exemplo seria o relacionamento médico e paciente. Atualmente alguns médicos deixaram de olhar no olho do paciente, para fazer isso através do computador, e essa relação médico-paciente fica prejudicada por conta de um aspecto objetivo.

No mundo Globalizado em que vivemos é importante analisarmos alguns aspectos que podem prejudicar as relações humanas, como negligenciar os pontos subjetivos nas relações entre organizações e os atores sociais.


Por Simone da Conceição Duarte




0

Seminário Não-violência, Direitos Humanos e Segurança Cidadã: um desafio de Comunicação e Cultura.

on 23:23
Sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Aconteceu no último dia 09 de novembro o Seminário “Não-violência, Direitos Humanos e Segurança Cidadã: um Desafio de Comunicação e Cultura Segunda”, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. O objetivo do seminário foi trazer à tona a importância de uma fusão entre teorias, ações sociais e educação, possibilitando uma sociedade mais justa, com sérias políticas sociais e ambientais e a construção de cidadãos conscientes do papel na sociedade.

Para a professora Lia Diskin ¹ " o maior problema a ser enfrentado é uma crescente naturalização da violência". Estamos acostumados a ver e viver a violência em nosso cotidiano e isto torna-se corriqueiro, natural. Segundo a professora , é preciso desnaturalizar tais hábitos que tornaram-se naturais no caos que vivemos hoje.

É neste cenário que está o papel da comunicação como transformadora e criadora de redes sociais, movimentos e organizações que inspirem mudanças, em um âmbito geral e não limitado a pequenos grupos ou setores.

" É hora da Não-violência, como a base do biológico, do psíquico e do social ser assumida pela Academia, pela Sociedade e pelo Estado", afirma o Professor Evandro Vieira Ouriques, professor e coordenador do NETCCON – Núcleo de Estudos Trandisciplinares de Comunicação e Consciência da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ).

Fica, portanto, a reflexão do papel do Comunicador e, em especial, do Relações Públicas, para a Educação e promoção do bem estar social, visando um mundo mais sustentável e uma mídia que promova o verdadeiro sentido da palavra Paz.

¹ Profa. Lia Diskin Formada em Jornalismo, com especialização em Crítica Literária. É co-fundadora da Associação Palas Athena e criadora de dezenas de programas culturais e sócio-educativos. Coordenadora do Comitê Paulista para a Década de Paz, um programa da UNESCO.
Leia mais em:

Por Leila Freitas

0

Garrafas pet viram camiseta

on 23:42
Quinta-feira, 19 de novembro de 2009


Com sempre é discutido preservar o meio ambiente é fundamental para que possamos manter vivo o nosso planeta.
Preocupados com isso a marca de surfwear Billabong e a Água Schin se uniram num projeto para preservar o meio-ambiente. Foram lançadas dia 17/11 as camisetas da linha ECO Recycled, confeccionadas a partir de fibras recicladas de garrafas PET. Para cada camiseta são necessárias dez garrafas de 300ml. Elas são transformadas em fibra de poliéster pelo processo de polimerização (trituração em flocos).Como você pode observar a camisa aí ao lado !
As estampas das peças são exclusivas e foram criadas pelo artista plástico Alexandre Sesper, que também é vocalista da banda Garage Fuzz .
A malha carrega consigo um valor sócio-ecológico agregado sem precedentes. A escolha por produtos ecologicamente responsáveis é a expressão destes valores.
As camisetas da linha Eco Recycled não têm etiquetas e trazem estampada a logomarca por dentro das peças. Já as etiquetas de papel dão lugar a um tag em formato da garrafinha de Água Schin.


Para obter mais informações, entre em contato pelo telefone (0xx11) 3618-8600.
Por Marcelly Gomes da Rocha

0

Slow Europe

on 21:24
Quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A Volvo, uma empresa sueca que fica na Europa, trabalha de uma forma "brilhante e simples", palavras de um brasileiro que participa dos projetos que ela desenvolve a 16 anos.
O conceito que a Volvo desenvolve, pode ser traduzido por estas palavras através do processo que ela trabalha com os seus funcionários: brasileiros, australianos, asiáticos e americanos.
Estes, quando vão trabalhar na Volvo, em sua matriz, esperam que os projetos sejam desenvolvidos e repassados, num deadline imediato. Todavia, o que acontece por lá, é exatamente o contrário, os projetos são desenvolvidos e testados, num prazo de dois anos, o que para os funcionários extrangeiros é um acumulo de aflição e ansiedade.
Os suecos se prendem a este tempo de dois anos, para que eles possam discutir, fazer várias reuniões e ponderar tudo aquilo que será repassado aos consumidores de forma excelente.
Este esquema todo é chamado de "slow down", o que também já fez com que outras empresas da Suécia obtivessem sucesso em seus negócios, como: a Scania, a Ericsson, a Electrolux, a Nokia, a Nobel Biocare, a próprio Volvo e outras mais.


Esta idéia está sendo implantada também por toda a Europa com o movimento Slow Food. Nome de uma empresa italiana que prega, o fazer as pessoas comerem mais devagar, saboreando os alimentos e curtindo o convívio da família, amigos, sem pressa e com mais qualidade.
O movimento já foi até citado pela revista Business Week, numa edição européia, que citou que este movimento está transformando a Europa na Slow Europe, um questionamento da pressa e da loucura gerada pela globalização, mas que a Europa está modificando para a qualidade de vida e qualidade do ser. Muitos países já aderiram, entre eles a Alemanha e a França, além de já ter chamado a atenção de muito americanos, para esta nova slow attitude.
Será que então, a partir disto, o resto do mundo não começará a prestar mais atenção neste novo movimento, que funciona, e mudar do Do it now (faça agora) para o Slow down?
Espera-se que sim.
Fontes: Artigo escrito por um funcionário da Volvo na Suécia a 16 anos (sem nome)
http://www.volvo.com/


Por Debora Godke Molina

0

A violência nas Escolas

on 20:11
Terça-feira, 17 de novembro de 2009

Realizamos uma pesquisa com professores da rede pública e privada sobre a violência nas escolas, que irá coloborar com o evento "Um Dia pela Paz" e com a Associação Palavra Viva, já antes mencionados neste blog. Esta pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 17 de novembro de 2009.

Confirmando os dados anteriormente obtidos através da pesquisa da UDEMO, realizada em 2000, todos os educadores já sofreram ou presenciaram algum tipo de violência que, de acordo com os entrevistados, partiram de alunos dentro das escolas. Tais atos violentos vão desde depredações ao espaço público até agressões físicas e psíquicas, ameaças, sequestros e tiroteios. Para todo e qualquer tipo de violência dentro dos estabelecimentos de ensino, são aplicadas advertências aos alunos envolvidos.
Com relação aos índices de violência no ambiente escolar, no ano de 2000, a UDEMO afirmou que 44 % dos educadores percebiam um aumento; de acordo com a presente pesquisa, cem por cento dos professores afirmam que a violência aumentou nas escolas e concordam que o motivo deste aumento é a falta de participação dos pais na educação: 66,66% afirmam que os pais devem participar da educação de seus filhos através da conversa e repreendê-los quando necessário, os outros 33,33% também concordam com a participação dos pais na educação, porém além de repreendê-los devem também castigá-los, quando necessário.
Os educadores, assim como concluído na pesquisa da UDEMO, concordam que deve haver uma participação do Estado como medida de prevenção à violência, utilizando, por exemplo, policiamento dentro das escolas.
A totalidade dos entrevistados não conhece a Associação Palavra Viva, uma ONG que tem o objetivo de disseminar a paz através de uma disciplina específica que deverá ser implantada na grade curricular dos alunos do ensino fundamental. Esta proposta será apresentada através do evento “Um Dia Pela Paz”, com dia, horário e cronograma anteriormente comentados.
Questionamos, portanto, se os educadores acreditam que um movimento em prol da paz pode ser benéfico à sociedade, obtendo 100% de concordância; entretanto apenas 66,66% dos entrevistados acreditam que esta disciplina será muito importante para o desenvolvimento da educação dos alunos e 33,33% acham que esta disciplina será pouco importante. Todos os educadores acreditam que a implantação da disciplina de paz pouco melhoraria ou não melhoraria as atitudes violentas dos jovens e adolescentes dentro das instituições de ensino brasileiras.

O que acontecerá com o futuro do Brasil e das crianças e adolescente que aqui vivem? O que devemos fazer para acabar com a violência que tanto nos assusta?


Fonte: Projeto de Pesquisa realizado por nós da Target para a disciplina de Métodos e Técnicas de Pesquisa em Relações Públicas, ministrada pelo professor Renato Cavalero.


Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

0

Motivados a fazer parte de uma nova organização

on 22:23
Segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Um dos grandes desafios é: como tornar pessoas passivas em pessoas ativas a fim de construir um trabalho melhor para a organização e para si mesmo?
Motivados a fazer parte de uma nova organização

O grande desafio é: como tornar pessoas passivas em pessoas ativas a fim de construir um trabalho melhor para a organização e para eles mesmos? Pensar no futuro da empresa para um funcionário já basta para se tornarem dinâmicos, para tornar uma empresa dinâmica e visionária. Ela é quem tem que começar a pensar em mudar sua estrutura e seu modo de comportamento com seus funcionários.

Tarefas repetitivas, cargos individualizados e visão mecanicista e fechada são chamadas de barreiras organizacionais e precisam ser imediatamente removidas, para que haja uma melhoria na motivação organizacional.

Desconfiança, autocracia, conservadorismo, espírito burocráticos são chamados de barreiras culturais e dão ênfase na motivação negativa.

Para existir uma motivação positiva dentro de uma empresa, a rigidez deve ser tomada pela liberdade e criatividade. Por isso, deve haver preocupação com a busca pela inteligência e pelo conhecimento nas competências pessoais de cada funcionário. A empresa deve dar espaço para seus colaboradores trabalharem e passarem a ter um espírito empreendedor.

Ao invés da empresa prender, punir e acorrentar seus funcionários ela deve incentivar, ajudar, recompensar e estimular estes a começarem a direcionar seus pensamentos para melhores resultados.

A “alma do negócio” está na forma com que a empresa lida com seus funcionários e da forma que ela extrai o melhor deles.
A mudança é importante para a modernização das organizações, é preciso saber motivá-las e incentivá-las. O apoio das pessoas já é meio caminho trilhado, a aceitação é o caminho da motivação para chegarem ao caminho destinado. Saber motivar para um comunicador é extremamente necessário, liderança, orientação e comunicação são as palavras que uma organização não pode esquecer na hora da mudança.

No mundo de hoje, competitivo e dinâmico, o sucesso organizacional depende da união, ter funcionários motivados faz toda a diferença.
.
MANEIRAS DE OBTER APOIO DAS PESSOAS PARA AS MUDANÇAS:

* Remoção das barreiras organizacionais
* Comunicação a respeito dos rumos da liderança
* Preservação dos empregos das pessoas
* Busca de apoio de todas as pessoas
* Envolvimento de todos com o sistema
*Remoção das barreias culturais
*Liderança para orientar a mudança
*Ampla utilização de equipes
* Participação e envolvimento de todas as pessoas
*Recompensas compartilhadas

Fonte: Visão e ação estratégica de Francisco Gomes de Matos e Idalberto Chiavenato

Por Juliana Chaves

0

"Uma das 100 melhores empresas para se trabalhar..."

on 08:38

Domingo, 15 de novembro de 2009



O que faz uma mesma empresa ser nomeada sete vezes pela revista Fortune como “umas das 100 melhores empresas para se trabalhar”?
A empresa Starbucks Coffee, que se tornou a maior revendedora, torradora e marca de café do mundo sabe muito bem o que isso significa.
Para Howard Schultz, presidente e CEO da organização, “o sucesso e o crescimento do Starbucks fazem parte do resultado de nosso compromisso inabalável com a oferta de produtos de primeira qualidade, e uma experiência excepcional para o cliente ao fazer negócios de maneira que produzem benefícios sociais, ambientais e econômicos para nossas comunidades”.
São muitas as atitudes éticas e sustentáveis presentes na organização: o café comprado deve possuir o selo “Fair Trade” (comércio justo), evitando o aumento do trabalho escravo e infantil, contribuições beneficentes para casos como: furacão Katrina e comunidades cafeeiras são constantemente realizadas, 5% da energia consumida pelo Starbucks é renovável, os copos de café são com fibra reciclada e 77% das lojas possuem um controle de lixo e reciclagem do mesmo. A organização se preocupa também com a satisfação de seu público interno: anualmente é realizada uma pesquisa de opinião pública, incentivo a vida saudável através de programas, ferramentas e informações sobre saúde, inclusão da mulher e de negros no mercado de trabalho...
Para o Starbucks, as seguintes diretrizes devem ser seguidas rigorosamente: o ambiente de trabalho deve ser perfeito e o respeito e a dignidade devem prevalecer entre todos, o apoio a diversidade deve ser um componente essencial, o alto padrão e excelência na compra, torrefação e entrega do café deve ser aplicado, cliente internos e externos devem estar sempre satisfeitos e entusiasmados, deve haver uma contribuição com o desenvolvimento das comunidades e reconhecimento que a rentabilidade é essencial para o sucesso do futuro.


Fonte: Relatório Anual de Responsabilidade Social Corporativa da Starbucks para o Ano Fiscal de 2005.

Quer saber mais?



Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

0

Evolução da Comunicação Organizacional

on 12:12
Sábado, 14 novembro de 2009



Segundo Torquato do Rego (2002) o desenvolvimento da comunicação organizacional coincide com a industrialização e o próprio crescimento econômico do Pais. Nas décadas de 60 e 70 destacam-se ênfases no produto. A partir da década de 80 as organizações têm uma preocupação voltada para imagem das organizações. Já na década de 90 até atualidade a comunicação organizacional adquire um caráter estratégico.


Comunicação Organizacional (ontem)

- Foco nos instrumentos de comunicação.
- Poucos investimentos na área comunicação vista como despesa.
- Nenhuma ou pouca concorrência.
- Consumidor dispondo de poucos instrumentos para desefa de seus interesses.
- Comunicação fragmentada, isolada.
- Valorização da Comunicação com o público externo.

Comunicação Organizacional (hoje)

- Visão mais ampla e estratégica.
- Perspectivas de ampliação nos investimentos na medida em que a comunicação é percebida como essencial.
- Mercado altamente competitivo.
- Consumidor pleno de seus direitos.
- Comunicação integrada.
- Comunicação cm todos públicos estratégicos ( stakeholders)


Com tudo o papel da comunicação organizacional tem um sentido de promover a coesão interna em torno dos valores e da missão da empresa, aumentando a visibilidade pública da organização num cenário globalizado, sem esquecer da comunicação interna que tem o papel de desenvolver ações que fortalecerá a imagem institucional, e as relações com imprensa, governo etc.



Torquato do Rego, Francisco Gaudêncio. Tratado de comunicação organizacional e política. São Paulo: Pioneira Thom son Learning, 2002.


Drucker, Peter Administração em tempos de grandes mudanças. São Paulo: Pioneira, 1999.



Por: Simone da Conceição Duarte.

1

A importância da Avaliação de Desempenho dentro das organizações

on 18:05
Sexta-feira, 13 de novembro de 2009
Devido às características competitivas do mercado empresarial atual e à constante busca pela excelência na carreira profissional, notamos que é cada dia mais frequente o uso de métodos de avaliação dentro das organizações.
O foco principal da Avaliação ( ou análise) de Desempenho é mensurar as qualidades do colaborador e as competências desenvolvidas dentro da empresa, em um determinado período. Pode ser considerado como um feedback das ações; entretanto tal avaliação é realizada de maneira mais completa e organizada, pontuando os aspectos positivos e corrigindo os negativos.
É importante ressaltar que o critério da avaliação deve ser elaborado de acordo com a Missão, Visão e Valores da empresa, para não haver fracasso ou má interpretação do processo.
" A organização deve realizar uma campanha de comunicação disseminando quais os objetivos, desmistificando boatos, esclarecendo os propósitos e os ganhos para a organização e principalmente os ganhos de cada um", afirma Rogério Leme, diretor executivo da Leme Consultoria e especialista em Gestão de Pessoas.
A avaliação de desempenho é ferramenta chave para que a empresa consiga enxergar quais são os profissionais que merecem investimentos nas carreiras. É também uma oportunidade de rever posicionamentos, metas e políticas internas da organização, com foco no lucro, desenvolvimento e bem estar organizacional.

Mais em:

http://www.rh.com.br/Portal/Desempenho/Entrevista/5778/por-que-utilizar-a-avaliacao-de-desempenho-com-foco-em-competencias.html


http://www.equestiona.com/Avaliacao_de_Desempenho.asp


http://www.administradores.com.br/artigos/avaliacao_de_desempenho_uma_visao_moderna/11418/




Por Leila Freitas

0

Planejamento Estratégico

on 21:34
Quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Os métodos administrativos tradicionais antigamente sedimentavam uma empresa no mercado. O contexto comercial mudou, a concorrência tornou-se acirrada, assim como as exigências do cliente. Para manter-se ativo no seguimento é necessário criar meios eficazes a fim de atingir o mercado consumidor.

Neste momento, se faz necessário um planejamento estratégico na área de vendas. Muitas vezes, para atingir o mercado é necessário um plano detalhado de trabalho que, combinados com políticas administrativas adequadas e uma negociação eficaz, sendo capazes de promover o sucesso do planejamento.

Há três tópicos relevantes para a realização de um planejamento estratégico de vendas coeso:
Plano de Negócios: missão e objetivos;
Plano de Marketing: análise competitiva e segmento alvo;
Plano de Vendas: público alvo, recrutamento, treinamento e motivação de equipe, bem como desenho do diretório de atuação.

Estes três processos, analisados de maneira focalizada, garantirão o reconhecimento dos valores ofertados pela empresa (satisfação do cliente), além de propiciar o crescimento do volume de vendas e, consequentemente, o seu lucro.

Fonte: http://vendassosrocha.blogspot.com/2009/02

Por Marcelly Gomes da Rocha

0

Ciclorama 6

on 21:16
Quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O Ciclorama (Ciclo de Palestras de Comunicação) é um evento realizado pela Universidade de São Paulo, mais especificamente, pela Agência de Comunicação ECA Jr. e tem por objetivo a realização de um ciclo de palestras sobre comunicação organizacional.

Este ano o evento completa 6 anos, com o tema: "A Queda de Barreiras Pela Nova Realidade da Comunicação" e conta com a presença de muitos nomes importantes da área de comunicação. Ele preve também, a interação entre as áreas de Relações Públicas e Publicidade.

E mais, o Ciclorama, neste 6° ano, está com um formato diferente. Por isso, além do ciclo de palestras, ocorre nos 3 dias do evento (10, 11 e 12 de novembro) a apresentação de cases, mesa de discussão e workshops. Tudo isso, com entrada gratuita para todos os estudantes universitários.

Se quiser mais informações sobre o evento, entre na página do Ciclorama 6: www.ciclorama6.com

Inscrições na própria ECA Jr.

Ainda dá tempo de você participar!

Por Debora Godke Molina


0

"Um dia pela Paz"

on 20:26
Domingo, 8 de novembro de 2009
A Associação Palavra Viva desenvolve anualmente um projeto chamado "Um Dia pela Paz". Este ano esse evento será organizado por nós, estudantes do III semestre de Relações Públicas da Universidade Metodista de S.Paulo.
Conforme já havíamos dito em posts anteriores, o objetivo do evento neste ano é de criar uma disciplina escolar para dissiminar a paz e superar conflitos e violência sofridos pelas crianças.

O evento será realizado dia 28 de Novembro a partir das 8h30 no Colégio Espiríto Santo localizado na Rua Tuiuti, 1442 -Tatuapé - São Paulo -SP.

A programação do evento será:


8h30: Chegada e Café da manhã
9h: Abertura e exposição da proposta
9h30: Palestra: A violência na escola – Tenente Emerson Massera (Assessor de Imprensa da Polícia Militar)
10h: Palestra: Construindo uma Pedagogia da Paz
10h40: Intervalo para café
11h: Workshop
12h15: Intervalo para lanche
13h: Plenário
14h: Apresentação artística e Espiritualidade da Paz
15h: Encerramento


Para mais informações: www.opv.org.br ou mande um e-mail para nós com suas dúvidas: agenciatargetrp@gmail.com


Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

0

O que é comunicação estratégica nas organizações?

on 05:42
Sábado, 7 de novembro de 2009
Segundo as autoras Ivone de Lourdes Oliveira e Maria Aparecida de Paula, as organizações vêem utilizando um processo de comunicação diferenciado, novas tecnologias da informação, processos produtivos e essas transformações impactam nas estratégias e relacionamento organizacional. Na comunicação estratégica não existe receptor passivo ou receptor ativo, atualmente os processos comunicativos são mais complexos, o qual tem a participação dos autores sociais.

As relações de trabalho modificaram-se, os funcionários buscam maior comprometimento para com a organização, mas ainda existiram momentos em que haverá diferenças nos interesses entre a organização e funcionários, esses pontos podem gerar conflitos de interesse, havendo a necessidade de negociação, discussão e compartilhamento de informações, para que possamos entender as expectativas dos públicos.
As autoras citam cinco componentes da dimensão estratégica da comunicação organizacional:

• A Comunicação deve está alinhada a Administração estratégica.
• Os profissionais e os programas devem ter o apoio da alta administração.
• Criar vínculos com os públicos de interesse.
• Fazer pesquisa, como forma de avaliação.
• Monitorar constantemente os processos.


Quer saber mais?
Então consulte o livro: O que é comunicação estratégica nas organizações



Por Simone da Conceição Duarte

0

Perfil do Relações Públicas: saia na frente!

on 17:22
Sexta-feira, 6 de novembro de 2009
Muitas dúvidas pairam sobre a cabeça de um universitário ou até mesmo de um profissional graduado quando o assunto é mercado de trabalho. Sabemos quão difícil é conseguir uma colocação e que é cada dia mais comum encontrar profissionais formados atuando em área diferente da que é habilitado.

Por considerar o assunto extremamente importante, levantei algumas características chave que compõem o perfil do Relações Públicas, segundo Fábio França e Art Stevens, presidente da Lobsenz-Stevens, Inc., em Nova York, e autor de The Persuasion Explosion:
- Deve ser um ótimo redator e saber redigir textos, comunicados, relatórios, entre outros, para os mais diversos públicos;
- Ter capacidade de projetar e executar, a curto, médio e longo prazo planos de Relações Públicas específicos para cada perfil de cliente;
- Manter-se aberto a novas idéias e ter uma visão global sobre o mundo que norteia os negócios de seus clientes;
- Deve acompanhar todo o processo, desde a implantação do projeto, até a execução e fazer o acompanhamento dos resultados;
- Entender sobre os principais meios de comunicação e saber decidir qual é o melhor a ser utilizado em cada situação. Manter boas relações com os veículos de imprensa e bons contatos com os profissionais na área;
- Deve saber elaborar uma boa Propaganda Institucional, que seja inovadora e surpreendente;
- Aperfeiçoar-se constantemente;
- Ser capaz de gerir o próprio negócio, sem perder o controle dos projetos e ações;

- Deve construir uma imagem profissional sólida, que inspire credibilidade para que possa manter-se nivelado aos altos executivos das organizações.

É claro que não podemos deixar de lado as particularidades de cada profissional, mas é importante destacar as qualidades que são mais importantes em um Relações Públicas. Fábio França usou a experiência profissional e estudos na área de psicologia, recursos humanos e marketing pessoal para compor tal perfil.

Mais em:

Por Leila Freitas

0

Comunicação Massiva

on 21:24
Quinta-feira, 5 de novembro de 2009
As organizações procuram os veículos de comunicação de massa como exemplo jornais, revistas, cinema, televisão, a própria internet, para atingir um grande número de pessoas.
O trabalho de relações públicas é o de medir informações entre a organização e os meios de comunicação para assim atingir os públicos, a sociedade e a opinião pública.

Algo de grande importância para a extensão de informações é desenvolver atividades especiais com os jornalistas, um público multiplicador.


Muito já se falou do poder da mídia, o fato é que a mídia constitui um público estratégico dos mais cobiçados e visados pelos poderes econômico e público.
As organizações investem muito na mídia, criando estruturas eficientes melhorando o relacionamento com a mídia.Isso se deve tudo pelo poder que ela representa de manipular a opinião pública.
O que devemos saber é que pelo poder que a mídia exerce, sempre leva vantagens, os valores éticos e o direito de resposta do atingido nem sempre são levados em conta, infelizmente.
Fonte: Livro Planejamento de Relações Públicas na Comunicação Integrada - Margarida Kunsch
Por Marcelly Gomes da Rocha

0

Merchandising Social nas telenovelas

on 18:23
Quarta-feira, 4 de outubro de 2009
O Merchandising é uma forma de divulgação de um produto utilizado, hoje em dia, princincipalmente, pelas telenovelas. Diferente da propaganda, que se utiliza dos intervalos comerciais, ou de programas transmitidos na parte da tarde para vender seus produtos, o merchandising é o meio de tentar vender um produto durante os programas de televisão.

As personagens, das novelas, utilizam-se de momentos da cena, para relacionar a situação a que estão envolvidas com o produto que irão mostrar. Desta forma, elas atrelam suas imagens a esses produtos, mostrando que são de boa qualidade e que funcionam perfeitamente.

Existe também outro tipo de merchandising, que é o Merchandising Social. Este, que teve início em 2001 com a novela "O Clone" da Rede Globo tem como principal objetivo informar a população sobre problemas sociais presentes no dia a dia das pessoas. No caso desta novela, o problema era tratado a respeito das drogas.

Um exemplo que ficou conhecido nacionalmente, foi o caso vivido pela atriz Carolina Dieckmann na novela "Laços de Família" da TV Globo.

Ela viveu a personagem Camila, que sofria de leucemia, precisava de transplante de medula e faltavam doadores.
A partir desta trama, de Manoel Carlos, o registro nacional de doadores de medula óssea passou de 20 para 900 inscrições por mês. Este aumento ficou conhecido como "Efeito Camila".

Este foi apenas um dos exemplos que a emissora Globo, já se utilizou para mover um grande número de pessoas para ações como: a prevenção e/ou o tratamento de doenças, a doação de orgãos, problemas familiares, problemas com drogas, problemas psicológicos e psico-sociais, entre outras.

Em suma, a Globo, assim como outras emissoras dos canais abertos, transmitem para a população, através das telenovelas, informação sobre os problemas sociais. Estas ações promovem outras que resultam na ajuda da vida de muitas pessoas da população brasileira.
*Texto baseado na palestra de Márcio Schiavo, diretor da Comunicarte, no Mix de Comunicação promovido pela Universidade Metodista de São Paulo em 27 de outubro de 2009;
*Nas aulas da Prof. Claudia Nociolini Rebechi de Comunicação Organizacional;
Por Debora G. Molina


0

Posição da Mulher no Comando Organizacional

on 23:17
Terça-feira, 3 de novembro de 2009


Vivemos em um país de raízes fundadas no machismo. Através dos anos, as mulheres foram lutando por seu espaço e abraçando diversas conquistas, que vão desde o direito ao voto – efetivada sem restrições em 1946 - à ocupação das cadeiras dirigentes nas organizações, já que estudos atuais indicam que 44% dos empreendedores brasileiros são mulheres.
"As mulheres estão entrando com mais força no mercado” – Laís Abramo, especialista em questões de gênero e trabalho na América Latina – conhecida por ter sido a primeira mulher a assumir a chefia do escritório da OIT no Brasil.
A mesma pesquisa¹ que nos trouxe os dados acima descritos, revelam que o país ocupa o terceiro lugar no ranking dos que mais investem, expressando 15% do total, contra 28% da Jamaica e 29% do Irã. Aliado aos dados obtidos por estudos feitos pelo SEBRAE e pelo IBPQ, de que 55% dos empreendedores têm de 18 a 34 anos, concluímos que o Brasil está trilhando um futuro promissor no que se diz respeito à diminuição das discriminações entre homens e mulheres, já que quase a metade dos empreendedores são mulheres, e estamos classificados como um dos que mais investem no mundo.
Movimentos em prol da causa são desenvolvidos, a exemplo do Programa Pró-Eqüidade de Gênero, criado em 22 de setembro de 2005, que agora chega a sua terceira edição (2009/2010). Uma iniciativa do governo federal, em parceria à UNIFEM e à OIT, se baseiam no Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, para incentivar as empresas, agora tanto públicas como privadas, a diminuírem as discriminações e diferenças entre os sexos e raças nas relações de trabalho.
Através da criação do Selo Pró-Eqüidade de Gênero, um Comitê especializado traça um perfil da organização e desenvolve um diagnóstico, apontando os principais problemas vivenciados pela organização. A partir daí, a empresa elabora um plano de ação com medidas corretivas, que é apresentado e discutido com o Comitê do programa, a fim de estabelecer um acordo/pacto para o cumprimento deste plano de ação. Esse Comitê, além de aprovar o plano de ação desenvolvido, monitora e presta apoio técnico às organizações.
Segundo Ana Falú, diretora regional do Unifem Cone Sul, o interesse dos órgãos em participar do programa mostra que “está em marcha processo de sensibilização e conscientização das autoridades” sobre as desigualdades entre homens e mulheres.
Programas de incentivo como esses, nos levam a posição de que haverá um progresso quando à participação da mulher no mercado de trabalho de forma igualitária ao do homem, assim como o aumento de sua ocupação nos cargos dirigentes das organizações. Como diz Paulo Tafner, economista e pesquisador do IPEA: “As empresas estão percebendo e quantificando mais precisamente a produtividade feminina.”
¹ pesquisa GEM 2008 (Global Entrepreneurship), divulgada em março deste ano.

OIT - Organização Internacional do Trabalho
SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
IBPQ - Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade
UNIFEM – Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher
IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Por Tamires Fontana

4

Natura e sua responsabilidade social

on 21:22
Segunda-feira, 2 de outubro de 2009


A responsabilidade social precisa ser adotada como cultura empresarial. Esse tipo de ação é adotada por empresas que se preocupam com o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida da sociedade em que esta inserida, são ações sociais que mantêm respeito ao meio ambiente e a sociedade, sem deixar de se preocupar com a geração do lucro da empresa e com de seus projetos.
A Natura divulga sua responsabilidade para todos seus clientes em catálogos, comerciais e por revendedoras, a maioria das pessoas que compram produtos da natura sabem que a empresa tem uma responsabilidade social. A empresa diz em seu site que ser uma empresa socialmente responsável é um grande desafio, porque pagar todos seus impostos em dia e manter projetos com a sociedade é um desafio continuo.
A Natura trabalha com a consciência de reciclagem e projetos para unir a sociedade, segundo a organização, todos os projetos são inovadores e diferentes para cada público: fornecedores, clientes, colaboradores, todos os projetos são voltados para valores e atitudes que fazem com que as pessoas se conscientizem dessa responsabilidade, como uma troca de experiências que incentiva o crescimento de todos os envolvidos com seus projetos.
Apesar da critica geral ser de que empresa nenhuma se preocupa com questões sociais e sim com o abatimento de impostos e geração lucros, a Natura consegue mudar esse conceito sem se preocupar com esse pré-conceito.
A responsabilidade social da indústria Natura já ganhou destaque no Brasil e agora está ganhando destaque em outros países da América Latina. Sua preocupação com o desenvolvimento sustentável e sua política de transparência para com seus diferentes públicos ajuda a continuar crescendo e ampliando os projetos.
O lema da Natura é “bem estar bem” e ela consegue demonstrar através de seus projetos de ação.
Contribuir de forma inovadora e exemplar para o aperfeiçoamento da sociedade, provocando mudanças de atitudes e de valores que materializem o ideal de uma sociedade mais justa.

Fonte do texto e da imagem : http://www.natura.net
Por Juliana Chaves

0

Ética

on 19:46
Domingo, 1° de novembro de 2009
Anualmente a Universidade Metodista de São Paulo realiza o Congresso Metodista. Este ano juntamente ao XII Congresso, um Mix de Comunicação foi apresentado. No dia 29/10 assisti à palestra “A ética nas ruas, a ética na mídia” ministrada por Marco Antonio Rossi (diretor da Mega Brasil Comunicação) e por Sandrine Lage (jornalista e autora do livro “O poder de (in)formar”).
Primeiramente, Marco Rossi designou a palavra “ética” como “o que é que é bom para o indivíduo, é automaticamente bom para a sociedade”, e explicou que a população tem se deparado com uma maior exposição pessoal perante o mundo, um aumento da velocidade em que as informações se dissipam e uma maior postura antiética na hora de dissipar tais informações. É nessa hora que devemos adotar de forma cotidiana uma postura ética, refletindo sempre antes de agir: “E se fosse comigo?” e “É isso que quero pra mim?”.
Sandrine mostrou que a ética deve caminhar em conjunto com a sustentabilidade. Um bom exemplo disso é que o aquecimento global não estaria acontecendo, caso a sociedade fosse ética (economizando água e energia, reciclando lixo, comendo em menor quantidade carnes...).
Considerei importante para nós, estudantes de comunicação, refletirmos sobre duas frases citadas durante a palestra:
“Quanto mais ética for a sociedade, mais éticos serão os seus meios de difusão da informação.”
“Não pode haver democracia sem informar os cidadãos. Não pode haver cidadãos informados sem qualidade de notícias na mídia.”



Por Lívia Schoupal Gil Berrocal

0

Projeto Integrado junto a Associação Palavra Viva

on 14:20
Sábado, 31 de outubro de 2009
Para desenvolvimento do projeto Integrado, realizamos duas entrevistas na Integra com o professor João Evangelista Teixeira e Zilda da Guia Godke Molina, com objetivo de saber a opinião do público leigo, e a opinião de quem já conhece o projeto um dia pela Paz, realizado pela Associação Palavra Viva. Com o resultado dessa entrevista iremos desenvolver um folder institucional o qual serão avaliadas a criatividade e fluidez do texto.

Estamos trabalhando com a elaboração de uma pesquisa cujo tema é Violência nas Escolas. Nosso objetivo é analisar os principais fatores que influenciam no aumento dos índices de violência nas escolas e conscientizar as pessoas a respeito de um assunto polemico. Trabalharemos com uma pesquisa qualitativa que será aplicada durante um evento para os professores da rede pública do Estado de São Paulo.


Nossa hipótese é baseada nos índices de violência que ocorrem nas escolas, no meio familiar e social. Iremos avaliar os fatores que influenciam no aumento dos índices de violência nas escolas e identificar como e quais ferramentas poderão ser utilizadas no combate a violência.




Por Simone da Conceição Duarte.

1

Educomunicação: reinventando a empresa atual

on 14:47
Sexta-feira, 30 de outubro de 2009
A Educomunicação é uma área de atuação que visa contribuir para a formação de um sujeito crítico, com capacidade de análise, inserido no grupo ao qual pertence e ativo na sociedade. Essa junção entre o " comunicar" e o " educar" deve ser sempre uma preocupação do profissional da área de Comunicação, sobretudo no âmbito empresarial.

Vivemos em uma fase de grandes tranformações nas empresas; a competitividade é cada dia maior e a busca por um lugar de destaque no mercado é a mola propulsora para a maioria das organizações. Para que tais objetivos sejam alcançados, as instituições não podem fechar os olhos para suas células principais, para os responsáveis pela produção e pelo alcance de suas metas. Funcionários e colaboradores devem ser aproveitados e a eles deve ser dada a oportunidade de desenvolvimento e de tornarem-se agentes ativos e responsáveis de projetos comuns.

O objetivo da Educomunicação Empresarial pode ser resumido em alguns pontos chave:

*Construir uma identidade corporativa que tenha bases sólidas e verdadeiras.

*Aplicar políticas constantes que visem o aperfeiçoamento da equipe e programas educação para o desenvolvimento intelectual e profissional do colaborador;

*Integrar os diversos setores da empresa, através do uso das ferramentas disponíveis e, se necessário, implantar de novos meios que eliminem as barreiras comunicacionais;

*Romper as barreiras pragmáticas das relações de trabalho ( resultados ) e entender o indivíduo também no campo de suas realizações pessoais.

Deve - se ter muita cautela, entretanto, para que não haja um desencontro entre o discurso e a prática. A educomunicação é, sobretudo, um processo de construção de um indivíduo analítico, pensante e o conceito obsoleto da relação de subordinação empresa - empregado precisa ser deixado de lado.
O grande desafio está em transformar tais empresas em um ambiente participativo e criativo e ter a possibilidade de mensurar os ganhos econômico - sociais da organização.

Veja mais sobre Educomunicação e Educomunicação Empresarial em:


5

Concepção de Responsabilidade Social

on 11:53
Quinta-feira, 29 de outubro de 2009
É interessante notar que atualmente é difícil ver uma empresa que não invista em um plano estrategicamente de responsabilidade social.
Acredito que as grandes corporações devem caminhar firmemente para praticar esse modelo e, num futuro não muito distante, vejo médias e pequenas organizações o assimilarem.
As empresas nos EUA foram pioneiras em prestar conta ao público de suas ações sociais, advindo, daí, a idéia de balanço social. Entretanto, foi a França, a primeira nação a tornar obrigatória a prestação de contas dos investimentos sociais das empresa, com número de funcionários acima de 300 funcionários.
Dessa forma, estava plantada a semente de entrada das empresas no universo de co-partícipe da responsabilidade social.
No Brasil, o reconhecimento da função social das empresas culminou com a criação da Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresa (ADCE) na década de 70, aliada ao enfraquecimento do Estado do Bem-Estar Social.
Contudo, a concepção do conceito de responsabilidade social somente ganhou espaço no final da década de 80, consolidando-se nos últimos anos, de 1990 a 2003. Dentre os fatores influenciadores, destacam-se: a) a reorganização do capital, que muda o cenário econômico, tendo como pilar a competitividade mundial, regional e local, exigindo um perfil para a indústria e os trabalhadores;b) aumento das condições de pobreza e da degradação ambiental, que culminou com os movimentos impactantes da ECO;c) o fortalecimento dos movimentos sociais;d) as profundas transformações do mundo contemporâneo, provocando a incerteza e a instabilidade como fatores ameaçadores à sobrevivência das organizações empresariais, ao mesmo tempo em que fortalece a valorização do conhecimento e do progresso;e) a insuficiência do papel do Estado, implicando nas graves críticas às políticas públicas, marcadas pelo assistencialismo, a insuficiências dos recursos, a privatização dos serviços sociais;f) o crescimento da violência urbana, dentre outros.
O conceito de responsabilidade social está em construção, requer mudanças culturais, em que empresas e parceiros busquem um processo conjunto, sem prejuízo de uns e com resultados de outros.
Um projeto de responsabilidade social só traz conseqüências positivas para a sociedade, e para a empresa, se for realizado de forma legítima. Um programa de responsabilidade social empresarial pode desenvolver atividades criativas, tais como: incorporação dos conceitos de responsabilidade social à missão da empresa, divulgação desses conceitos entre os funcionários e prestadores de serviço, estabelecimento de princípios ambientalistas como uso de materiais reciclados e a promoção da diversidade no local de trabalho.

Fonte:
www.educador.brasilescola.com/politica-educacional/a-responsabilidade-social-empresarial
allegrobgblog.wordpress.com/2008/07/03/elegancia-empresarial/

Por Marcelly Gomes da Rocha


Copyright © 2009 Target Comunicação All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.